Mokininha

Dicas essenciais para gestão do seu e-commerce

O e-commerce brasileiro chegou à marca de R$ 53,4 bilhões em faturamento no primeiro trimestre de 2021, atingindo crescimento de 31% em relação ao mesmo período no ano passado. Embora esse dado seja impactante, ele já era previsto em um cenário em que as empresas precisavam encontrar formas de se manter durante a pandemia. Mas isso ainda está bem longe do resultado que podemos chegar. 
 
Numa escala mundial, somos apenas o 11º maior mercado em e-commerce, representando 0,8% das vendas totais – muito próximos de países como Espanha, Canadá e Rússia, mas ainda bem distantes de lugares como a China, que concentra 52,1% das vendas em e-commerce, assim como Estados Unidos (19%), Reino Unido (4,8%) e Japão (3%). Ainda há muito espaço para crescimento.
 
O salto do e-commerce brasileiro a partir da pandemia não será mais autossuficiente se as empresas do setor não pensarem em como ser mais criativas, gerando não só boas ofertas, mas experiência e conteúdos mais relevantes. Naturalmente, assim como em outros negócios, a loja virtual precisa de uma boa administração e um acompanhamento contínuo. O fundamental é entender que, para ter um e-commerce de sucesso, é preciso tomar alguns cuidados e se dedicar a algumas atividades. 
 
Hoje, você verá aqui algumas dicas que podem ser aplicadas desde o planejamento do negócio até ações de pós-venda. Confira!

Faça um bom planejamento
Parece muito mais fácil criar uma loja virtual do que uma loja física. Afinal, você não precisa contratar um designer de interiores, investir em mobília, prateleiras, manequins e nem alugar um ponto comercial. Isso não quer dizer, no entanto, que você não precise elaborar um plano de negócios. A criação de uma loja virtual envolve custos e exige análises e decisões que podem ser responsáveis por levar o varejo à falência ou ao sucesso. Um bom plano de negócios deve conter, entre outros elementos, informações sobre o público, a concorrência, custos, se a atuação se voltará para o comércio local (só como extensão da loja), se busca vender nacionalmente, investimento necessário, tempo de implantação, retorno sobre investimento e estratégias de diferenciação.
 
Escolha bem a plataforma
A possibilidade de vender na internet com custos baixos é um dos principais benefícios do e-commerce, o que é facilitado com o uso de plataformas dedicadas à essa prática. Se você não tem necessidade de muita customização no layout, nem tem um desenvolvedor para criar e gerenciar a loja virtual, uma plataforma oferece, basicamente, tudo o que você precisa para vender online. 
Além de funcionalidades mínimas, como opção para cálculo de frete e de prazo de entrega, essas plataformas geralmente têm integrações a outros programas, como sistemas gerenciais e até aplicativos de chat para atendimento. Seja a plataforma que você escolher, garante que a loja ofereça boa navegação e conduza o cliente por todas as etapas de compra com fluidez. Isto é, garante que seu layout tenha boa usabilidade, velocidade e seja responsivo a dispositivos móveis. Afinal, a maioria dos brasileiros faz compras por smartphones. 

Utilize um bom Sistema Integrado de Gestão Empresarial 
É um software que agrupa todas as tarefas realizadas diariamente pela empresa e, assim, facilita o gerenciamento de todos os seus departamentos. A unificação de dados em um mesmo sistema propicia maior eficiência, produtividade, segurança e confiabilidade nas informações, promovendo uma gestão mais organizada e com controle sobre tudo o que ocorre na empresa. Ou seja, em vez de usar cadernos de anotações e planilhas, utilize um software que permita ações automatizadas, como a emissão de notas fiscais, atualização de estoque e geração de valor a receber para cada venda realizada. Isso é muito importante na gestão de um e-commerce de sucesso, pois ajuda a evitar problemas com controle de estoque, além de facilitar o acesso a dados de qualquer lugar, já que muitas soluções funcionam na nuvem. 
 
Invista em marketing 
Quando você tem uma loja física, a vitrine e fachada atraem alguns curiosos e possíveis clientes. No entanto, isso não ocorre tão facilmente na internet. Para vender, é necessário expor o produto. Os investimentos em marketing devem ser considerados no plano de negócios e incluir um calendário de ações para promover a empresa online. Isso pode envolver a criação de fotografias, vídeos, anúncios e conteúdo otimizado para SEO (buscas na internet). 
 
Aproveite o poder das redes sociais
As redes sociais são o segundo principal canal utilizado para as vendas online. A verdade é que o social selling (vendas por meio das redes sociais) é uma realidade e pode te ajudar a ter um e-commerce de sucesso. Você pode até mesmo integrar a sua plataforma a soluções como Facebook Shopping/Instragram Shopping para cadastrar o catálogo de produtos e gerar vendas. No Instagram você pode colocar etiquetas em publicações no feed e nos stories e associar produtos a situações cotidianas do consumidor. As plataformas são gratuitas e podem ajudar a divulgar seus produtos a pessoas, sobretudo, seguidores, que estão ativamente procurando pelas soluções que sua empresa tem. 

Cuide da logística 
A logística é de fundamental importância para empresas do varejo eletrônico. Se você quer ter um e-commerce de sucesso, não pode desconsiderar a influência que o prazo e preços de entrega têm sobre o resultado das suas vendas. Além de oferecer frete grátis – ao menos em alguma região ou para compras acima de determinado valor – e enviar informações de acompanhamento de entregas, você pode utilizar uma solução de e-fulfillment, que une armazenamento, embalagem, transporte e até logística reversa. Você encontra essa solução tanto nos Correios quanto em transportadoras. 
 
Faça uma boa gestão do estoque
Especialmente se você também vende em outros canais, deve considerar a importância da integração do estoque físico ao e-commerce. Ninguém quer ver o cliente deixar de fazer a compra porque o produto estava indisponível na plataforma. Por isso, entenda quais produtos despertam mais interesse e o tempo de vida destes em estoque. Mantenha-o sempre abastecido com itens de maior giro para atender o seu consumidor. Uma ótima estratégia é utilizar softwares que ajudem nessa gestão. A Moka Pay, por exemplo, tem o Stoki, software inteligente que faz a gestão de estoque e sugere melhores compras e vendas de produtos. O Stoki analisa o comportamento de compra de seus clientes para sugerir melhores práticas para sua empresa, como a compra de produtos específicos porque têm mais saída. Você terá menos produtos encalhados e começará a vender mais. Legal, né?
 

E então, entendeu o que você pode fazer para otimizar a sua gestão e ter um e-commerce de sucesso? Um bom planejamento é essencial! Antes mesmo de contratar uma plataforma e um sistema gerencial, você precisa estudar o mercado para entender como atender melhor suas necessidades e expectativas. Essas diretrizes o ajudarão a criar a loja virtual, investir em marketing e construir uma logística com estratégia. Administre bem o estoque — e considere a tendência do omnichannel —, e inspire confiança. 

Chegamos ao fim das dicas. Agora que você está craque sobre gestão de e-commerces, é hora de colocar a mão na massa. Se quiser conferir tudo o que a Moka Pay pode fazer para o seu negócio, acesse www.mokininha.com.br 
ou entre em contato pelo Whatsapp (11) 91042-2751.